CBM

A Trajectória Baptista

Vejamos o que se diz sobre os Baptistas:
Existem três teorias sobre o assunto, a saber:

1. Teoria JJJ – Significando João, de João Baptista, Jordão e Jerusalém.

Esta teoria afirma que os primeiros baptistas foram os discípulos de João Baptista e mais tarde se tornaram seguidores de Jesus. No século IV, a Igreja cristã se une ao estado romano, um grupo desses cristãos não se conformou com essa decisão, o que lhe levou a viver a margem dessa sociedade, clandestinamente vivendo uma vida de uma comunidade mais independente possível em relação ao resto da civilização como um todo. João Baptista não formou uma comunidade cristã, muito menos os seus discípulos, o que se sabe é que João foi o percursor que preparou o caminho para a vInda do Messias- Mat. 3:1-12.

2. Teoria de Sucessão Anabaptista – durante toda a idade média, houve vários movimentos Anabaptistas (anabaptista significa rebaptizador), aquele que Baptiza de novo. Devido esse princípio, esses grupos cristãos não reconheciam a validade do baptismo infantil e também do por aspersão. Para eles, o baptismo válido é aquele feito numa idade de consciência própria, depois de ter confessado a Cristo como seu único Senhor e Salvador, voluntariamente e depois faz-se o baptismo por imersão. Por isso que foram intitulados de rebaptizadores. Os Anabaptistas foram perseguidos e mortos durante séculos. De acordo com essa teoria, os baptistas actuais são uma continuidade do movimento Anabaptista apenas numa forma moderna.

3. Teoria Histórica ou Pós-Reforma – Após a reforma protestante, com o surgimento da igreja Anglicana, um grupo de cristãos ficou descontente com essa fusão entre o Reino Britânico e a igreja, visto que se tornou uma igreja estatal. O grupo queria independência entre a igreja e o Estado, separação entre a Igreja e o Estado. Pessoas como, Thomas Helwys e John Smith, refugiaram-se na Holanda, um País que tinha mais liberdade religiosa na época. Ali eles encontraram um grupo de Anabaptistas e também um grupo de Luteranos que estavam descontentes com modelo que a igreja Luterana tinha adoptado. Esses três grupos uniram-se e começaram a discutir qual seria a forma mais bíblica de viver o Cristianismo a luz da Bíblia, o que era e o que não era.

Então, concluíram chamar o primeiro grupo de comunidade Baptista com cerca de trinta (30) pessoas. Thomas Helwys e John Smith foram escolhidos como seus líderes, pastores e as trinta pessoas foram batizados por imersão.

Anos depois uma parte do grupo voltou para Inglaterra e outro ficou na Holanda, expandindo dessa forma a comunidade Baptista.

Então, qual dessas teorias compactua com os actuais Baptistas? Não existe uma única resposta, porque as três teorias assemelham-se nas suas abordagens, apesar de usarem ângulos diferentes. A maioria dos Baptistas crêem na teoria histórica, devido as evidências de factos históricos apresentados, junção de três grupos diferentes, mas com o mesmo foco, perseguição pelos católicos romanos e anglicanos, indicação de pastores para sua liderança e formação de uma comunidade Baptista.

Doutor Gabriel Porto defende a teoria da sucessão Anabaptista por sua firmeza doutrinária quanto a salvação e baptismo válido biblicamente. De outro lado há um credível facto histórico do Cardeal Stanislaw Hosius, líder do Concílio da contra- reforma no século XVI que afirmou o seguinte: “se nós não tivéssemos perseguido e massacrado esses baptistas nos últimos 1200 anos, eles hoje seriam um montante bem maior do que todos os reformadores” fim da citação.

Então, pode-se deduzir que os baptistas surgiram no século IV que foi a época da fusão da Igreja e o Estado, se há essa citação por um Cardeal, significa que os baptistas já existam muito antes desse concílio. Eu concordo e me conformo com a teoria da Sucessão Anabaptista.

O importante é sabermos as crenças dos BAPTISTAS para sermos fiéis continuadores do seu legado espiritual.